fbpx

CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA

A videolaparoscopia consiste em uma moderna técnica cirúrgica, que permite a abordagem da cavidade abdominal para a realização de diversos procedimentos, sem a necessidade de realizar grandes incisões cirúrgicas. Dessa forma, permite ao paciente menor tempo de recuperação, menos dor no período pós-operatório, menor risco de infecção, melhor resultado estético e retorno mais breve às atividades cotidianas.

Para a realização da videolaparoscopia, é necessário internação hospitalar, após criteriosa avaliação clínica e anestésica, seguindo a mesma rotina de cuidados pré-operatórios da cirurgia convencional. Sob anestesia geral, inicia-se o procedimento com a instalação do pneumoperitônio. Esta etapa consiste na insuflação da cavidade abdominal com gás carbônico (CO2), seguido pelas punções da parede abdominal e posicionamento dos trocartes. Através destes dispositivos, o cirurgião introduz diversos tipos de instrumentais cirúrgicos específicos, realizando cirurgias com visão indireta em monitores digitais de alta definição.

Existem diversas indicações para a realização da videolaparoscopia. Esta técnica pode ser usada para fins diagnósticos ou terapêuticos. Com a evolução tecnológica e crescente desenvolvimento de habilidades cirúrgicas em videolaparoscopia quase todas as cirurgias do aparelho digestivo podem ser realizadas por essa técnica. 

Atualmente os procedimentos rotineiramente realizados pela técnica videolaparoscópica são: cirurgias ginecologicas, hérnias inguinais, cirurgia do Refluxo, Vesicula Biliar, Cirurgia Bariatrica, Cirurgia Oncologica entre outras.

O tempo de recuperação estimado após uma cirurgia videolaparoscópica é de aproximadamente 7 a 14 dias. Este prazo difere do período de 30 a 40 dias atribuído aos procedimentos realizados por via laparotômica convencional. Além disso, os sintomas são significativamente menores, minimizando a necessidade de uso de analgésicos, antiinflamatórios e antibióticos no período pós-operatório. Em geral, há alta hospitalar em menor intervalo de tempo, com menores riscos e redução dos custos hospitalares.