You are currently viewing Correção da Diástase Abdominal por Cirurgia Robótica

Correção da Diástase Abdominal por Cirurgia Robótica

Muitos pacientes apresentam abaulamento na parede abdominal ao esforço físico. Mas afinal, qual a diferença entre a diástase do musculo reto abdominal e da hérnia? As duas podem acontecer junto? Se sim, é possível realizar o tratamento em conjunto? 

A diástase abdominal é o afastamento dos músculos do abdome sem criar nenhum orifício que comunique a cavidade abdominal com a pele. A diástase não traz dor abdominal (porém em alguns casos pode trazer dor lombar) e nem complicações graves ao paciente. Geralmente o seu tratamento está mais associado a processo estético. Alguns estudos demonstram que pacientes que apresentam diástase de abdome e hérnia de parede podem elevar o risco de retorno de hérnia de parede abdominal se não tratados juntos.   

Já a Hérnia da parede abdominal é a formação de uma falha na parede muscular do abdome que faz com que o conteúdo abdominal tenha contato com a pele através de um orifício. 

Parede Abdominal Normal Diástase de Parede Abdominal Hernia de Parede Abdominal
Parede Abdominal Normal  Diástase de Parede Abdominal  Hérnia de Parede Abdominal 

 

Ambas causam abaulamento da parede abdominal porem durante exame físico no consultório muitas vezes é possível distinguir entre ambas. Em alguns casos de duvida, a ultrassonografia de parede abdominal e em alguns a tomografia podem ajudar no diagnóstico. 

A maior parte dos casos da diástase de abdome acontece em mulheres após a gestação. Durante a gravidez, a musculatura é empurrada pelo grande volume abdominal e os músculos tendem a ficar mais fracos e cedem para colaborar com o processo de crescimento da barriga. Outros casos de diástase podem acontecer em pacientes com perda de peso rápida (por exemplo cirurgia bariátrica) ou em pessoas que carregam peso com postura inadequada.  

O tratamento de diástase abdominal depende de cada paciente e do tamanho do afastamento diagnosticado. Situações mais simples podem ser resolvidas com fisioterapia e exercícios específicos para o fortalecimento dos músculos retos abdominais. 

Na maior parte dos casos a cirurgia para a diástase é realizada pelo cirurgião plástico no mesmo tempo cirúrgico de uma abdominoplastia (retirada de excesso de pele). Entretanto, alguns pacientes apresentam como única queixa o abaulamento da diástase e não tem necessidade de retirada de pele ou de gordura abdominal. Nesses casos, uma alternativa cada vez mais realizada é o tratamento da diástase abdominal (juntamente ou não com hérnia de parede abdominal) por meio de cirurgia robótica. 

A grande vantagem de abordagem por via robótica é não haver a necessidade de realizar de uma incisão acima do púbis (como uma incisão de parto cesárea um pouco maior).  

Na cirurgia robótica de reparo de diástase são realizados 3 furinhos perto do púbis e as pinças robóticas manejadas pelo cirurgião fazem o fechamento da área abaulada no centro do abdome fixando os músculos com vários pontos internos. Em casos em que exista hérnia umbilical ou epigástrica pode ser colocada tela de proteção para reforçar o fechamento. 

O tempo de internação para a cirurgia varia entre 1 e 2 dias. O pós-operatório paciente deve evitar carregar peso por 60 dias. O mesmo devera usar cinta abdominal e ficara com dreno por volta de 14 dias. 

 

Dr. Renato Barretto

Deixe um comentário