Tecnologia como auxílio na atividade física

Tecnologia como auxílio na atividade física

Um dos maiores desafios dos pacientes submetidos a cirurgia bariátrica é sem dúvidas o combate ao sedentarismo. A perda de peso sustentada a longo prazo passa pela aderência dos pacientes as mudanças de estilo de vida que o levaram a ganhar peso excessivamente. Atividade física, de qualquer natureza, é essencial para que o tratamento de obesidade tenha o sucesso esperado, e deve ser inserida na vida do indivíduo de forma permanente e saudável, e sempre que possível, acompanhada por profissionais habilitados.

O desafio é ainda maior no contexto mundial que vivemos atualmente, por conta de todas as limitações de isolamento social impostas pela pandemia de COVID-19, que limita o acesso a academias, parques e instituições voltados a atividade física.

O uso de ferramentas tecnológicas para contribuir na aderência destas atividades é extremamente bem vindo, e envolve desde avaliações do estado físico do indivíduo com uso de tecnologias específicas, de forma seriada e acompanhada por nutricionistas, fisioterapeutas e educadores físicos, até aplicativos de celulares e redes sociais, que permitem acesso a conteúdo de qualidade e embasado para praticamente qualquer forma de atividade física ou até mecanismos de motivação para realização frequente de exercícios.

Neste ponto, a pandemia com todas as dificuldades impostas, foi responsável por ampliar de forma acelerada a oferta de conteúdo online. Este conteúdo já existia antes, porém agora as pessoas estão muito mais propensas a procurar e até pagar por isso. São séries de vídeos no YouTube, especialmente aqueles que promovem práticas de atividades em casa e sem equipamentos, mas também aplicativos de celular com o mesmo intuito, ou então aplicativos voltados para acompanhamento dos resultados das atividades físicas, avaliando a progressão e perda de peso dos usuários.

Há também oferta maior de wearables (relógios/smartwatches, pulseiras/smartbands e monitores de frequência cardíaca), que são ferramentas utilizadas no próprio corpo, com o objetivo de aferir diversos dados do indivíduo durante o tempo, especialmente nas atividades físicas, como frequência cardíaca, calorias gastas, passos percorridos durante o dia e distâncias numa corrida, por exemplo. Além de estimular a própria prática de exercícios e estabelecimento de metas de progressão, permitem a profissionais habilitados ajudar as pessoas a encontrar a dosagem correta e eficaz destes exercícios.

Outra forma de utilizar a tecnologia é através de perfis em redes sociais ou blogs. Neste caso, geralmente o objetivo destas pessoas, especialmente os pacientes de cirurgia bariátrica, é gerar automotivação, para não desistir ou desanimar durante o processo de recuperação da cirurgia e perda de peso, mas que acaba também por motivar outras pessoas a ter um estilo de vida mais saudável.

Num momento atual tão difícil como este de pandemia, ou mesmo para acompanhamento de um processo desafiador, que é uma mudança de estilo de vida, é imprescindível que o uso de tecnologias acessíveis seja sempre empregado para obtenção de resultados duradouros, principalmente na manutenção de perda de peso.

 

Dr. Nathan Rostey CRM 180.456

Deixe uma resposta