Anestesia na Cirurgia Bariátrica

Anestesia na Cirurgia Bariátrica

Ao se pensar em Cirurgia Bariátrica naturalmente temos que associar a um atendimento multidisciplinar, tanto antes quanto depois da cirurgia. A avaliação pré-operatória multidisciplinar envolve, para todos os paciente, a avaliação de cardiologista, pneumologista, endocrinologista, nutricionista e psicologia, além é claro de seu médico cirurgião. Outras avaliações podem ser necessárias a depender de cada caso e das doenças associadas, como ortopedista, reumatologista, nefrologista etc.

Toda essa avaliação faz parte de um preparo pré-operatória para que a cirurgia seja realizada com a maior segurança possível e individualizada para paciente. Porém, há ainda uma outra avaliação fundamental a ser feita antes da cirurgia: a do anestesista!

A avaliação pré anestésica pode ser realizada tanto de forma ambulatorial, como no dia do procedimento, sendo que neste caso o anestesista conversa com o paciente momentos antes da cirurgia. Essa conversa é importante para que o médico prepare as medicações adequadas de acordo com diversas informações dadas pelo paciente, como:

  • se está de jejum no tempo adequado
  • peso (para calcular doses)
  • doenças associadas (hipertensão, diabetes etc)
  • quais medicações utiliza diariamente
  • alergias
  • histórico de cirurgias anteriores
  • exposição a drogas e vícios

 

Após essa conversa e checagem de todos os exames realizados no pré-operatório, o paciente é encaminhado para a sala de cirurgia.

A anestesia geral sempre é empregada neste tipo de cirurgia. Para a realização da anestesia geral, o anestesista obtém um acesso venoso, administra fármacos intravenosos (medicações na veia), que levam à inconsciência do paciente, e então procede com a intubação orotraqueal (o paciente respira durante a cirurgia através de um tubo e do ventilador mecânico).

O anestesista permanece ao lado do paciente durante todo o procedimento, garantindo que os sinais vitais permaneçam estáveis e fornecendo boas condições cirúrgicas para a equipe médica.

Muitos pacientes relatam medo do despertar intraoperatório (acordar no meio da cirurgia), no entanto esta complicação é extremamente rara atualmente devido as técnicas anestésicas modernas.

Ao término da cirurgia, a extubação (retirada do tubo orotraqueal) ocorre ainda em sala cirúrgica e após este momento o paciente é encaminhado para a sala de recuperação pós anestésica (RPA).

As situações pós operatórias mais frequentes relacionadas a anestesia geral são: dor, náuseas e vômitos. Estes sintomas, caso ocorram, são tratados na RPA pelo anestesista. Porém, mesmo antes do paciente ir para a RPA já são realizadas medicações para evitar esse sintomas.

Nos casos de cirurgia videolaparoscópica, o sintoma de dor leve e distensão abdominal é comum. Estes sintomas costumam ser amenizados com deambulação e retorno da atividade intestinal, já desde algumas horas após a cirurgia.

Assim como é importante estar em uma equipe de cirurgiões com experiência em cirurgia bariátrica, o mesmo acontece com a equipe de anestesia do hospital, que deve estar preparada e ter experiência com esse tipo de cirurgia. Escolha uma equipe experiente, pois com certeza ela escolherá hospitais e equipe de anestesistas também experientes!

 

Dr. Ricardo Moreno

Deixe uma resposta