Como fica o estômago depois da Cirurgia Bariátrica?

Como fica o estômago depois da Cirurgia Bariátrica?

O tratamento cirúrgico da obesidade mórbida, quando indicado, pode ser realizado por duas técnicas distintas, ambas podendo ser realizadas por via laparoscópica ou robótica, e que alteram de maneira diferente a anatomia normal do paciente para promover o emagrecimento. São elas o By-pass Gástrico em Y-de-Roux e a Gastrectomia Vertical (Sleeve), não havendo diferença nos riscos para o paciente e sua escolha envolve fatores específicos para cada caso e avaliação do cirurgião para a melhor técnica a ser empregada.

No By-pass, o estômago que possui um volume estimado em 1000 ml (que pode aumentar no momento da alimentação), é reduzido a um volume de 25 ml (aproximadamente meio copo de café), através do uso de grampeadores cirúrgicos, formando uma pequena bolsa chamada de “pouch”. O restante do estômago (chamado “estômago excluso”) continua no abdome do paciente e ao lado no novo estômago reduzido, no entanto os alimentos são desviados e não passam mais por ele. A produção de suco gástrico no estômago excluso continua, e seguirá pelo duodeno até unir-se ao alimento mais abaixo no intestino.

A avaliação endoscópica do estômago no pré-operatório é fundamental, já que a maior parte do estômago antigo não poderá ser visualizada por endoscopia tradicional. Se necessário, este acesso poderá ser feito através de cirurgia. A cicatrização ocorre no primeiro mês, atingindo sua melhor resistência após cerca de 4 semanas, daí a importância da dieta líquida indicada neste período.

Como o estômago excluso não é retirado, o by-pass é considerada uma cirurgia reversível, no entanto é um procedimento muito raramente indicado, e apresenta riscos muito mais elevados. A dilatação do pequeno estômago formado pode ocorrer, mas de forma mínima e não afeta os resultados na perda de peso. Em alguns pacientes, eram utilizados anéis ao redor do “pouch”, para aumentar a restrição na alimentação, mas estes caíram em desuso, e não são mais empregados nas técnicas atuais.

Na Gastrectomia Vertical, o estômago é reduzido de 1000 ml para aproximadamente 200 ml ou menos (cerca de 20% do total permanece), através da retirada do fundo e do corpo do estômago, também com uso de grampeadores cirúrgicos. Não há desvio na passagem de alimentos, e não há estômago excluso, já que há a retirada do excesso de estômago grampeado, não havendo, portanto, reversibilidade.

Pode ocorrer dilatação do estômago que permanece, em um grau um pouco maior que no by-pass, e a cicatrização ocorre também em cerca de 4 semanas, havendo necessidade de dieta líquida neste período.

Para os dois tipos de cirurgia, a perda de peso não se dá apenas pela restrição de ingestão de alimentos ou por dificuldade de absorção gerada pelos desvios intestinais no by-pass, mas também por um efeito metabólico importante. Há redução na produção de grelina (conhecido como hormônio da fome), além de alterações de outros hormônios relacionados, o que gera um aumento na saciedade do paciente, contribuindo significativamente na ocorrência e manutenção da perda de peso.

Apesar das restrições de volume e absorção de alimentos ocasionadas pela cirurgia, a quantidade de nutrientes e calorias que os pacientes conseguem absorver é suficiente para a manutenção das funções vitais e atividades dos pacientes. Há um efeito importante sobre a absorção de vitaminas e micronutrientes, como vitamina B e Ferro, e por isso, em ambos os tipos de cirurgia, o paciente necessitará de suplementação com polivitamínicos de forma permanente.

(Dr. Nathan Rostey CRM 180.456)

Este post tem 11 comentários

    1. RR Médicos Cirurgiões

      A princípio não tem problema. Lembre-se que o importante é sempre manter uma ingestão de líquidos adequada para ajudar no funcionamento do trânsito intestinal.

  1. Vanice de Fátima miranda

    Ola fiz redução de estômago a um ano só q de vez em quando eu tomo cerveja,e tendo notado q meu estômago está enorme,oque devo fazer ? Parei já de beber mais tenho medo q tenha dilatado.isto e possível?

  2. 19 de Março de 2021

    Olá. meu nome é Amélia de Fátima Pértel, vou fazer cirurgia de redução de estomago prevista para daqui a 90 dias. não tenho obesidade morbida. Mas sou diabetica tipo 2 e isso me causa uma series de problemas. Eu tenho uma duvida e gostaria que me ajudassem. Tenho minha glicemia 100 % descompensada, então eu vou ter que ficar em jejum por muito tempo para poder ir para o centro cirurgico. Tá, e se eu tiver uma queda muito forte da glicemia (hipoglicemia) durante o periodo que estou ainda esperando para ser Operada???. E se eu tiver o mesmo problema quando sair da cirurgia, porque tambem tenho que ficar sem comer por muitas horas??? sera que vão colocar soro para me alimentar??? Estou com esta preocupação porque ja tive situaçoes que minha glicose chegou a 40 e eu praticamente morrii. me ajude por favor. me oriente para que eu possa ficar calma. por favor responda pelo meu imail ( [email protected]). MUITO. MUITO GRATA MESMO POR ME RESPONDER.

    1. RR Médicos Cirurgiões

      Olá. Todos os pacientes que são submetidos a cirurgia (principalmente os diabéticos) são monitorados quanto a sua glicemia com frequência no ambiente hospitalar. Na nossa rotina todos os pacientes ficam como soro e caso a glicemia se mantenha baixa são realizadas soluções de glicose na veia.

      O motivo do jejum antes da cirurgia é devido a anestesia geral. Após a cirurgia o paciente permanece em jejum nas primeiras horas devido ao risco de náuseas e vômitos.

  3. Fazem 10 meses que operei (by-pass), tenho sentido muitas dores na região do tórax (se passo mais que 3 horas em jejum), e fortes dores no estômago. Não tive perda de peso significativa na minha opinião (PI: 94 – PA: 73), 21 quilos. Fiz uns exames ontem e constou úlcera no jejuno. O que vem a ser isso?! E por que não perdi peso igual outras pessoas?!

    1. RR Médicos Cirurgiões

      A dor pode estar sim relacionada a úlcera de jejuno. Quanto a perda de peso vc precisa passar no seu médico para uma melhor avaliação. Lembre-se que a cirurgia não é um milagre. Geralmente erros de alimentação e falta de atividade física podem contribuir para não atingir o objetivo. Procure o seu médico pois até a causa da úlcera pode ser um sinal de má alimentação.

  4. Rose

    Bom dia fiz uma cirurgia bariátrica baypess já tem dês dias ..já posso comer algo pastoso.pois já não aguento mais liguidos

    1. RR Médicos Cirurgiões

      Siga as recomendações da Nutricionista. Geralmente o tempo mínimo de dieta líquida varia de 15 a 20 dias.

  5. Hidamares

    Boa tarde!
    O que é anastomose gastro jejunal ampla facilmente transponível, medindo aproximadamente 12 mm

    1. RR Médicos Cirurgiões

      Quer dizer que a sutura realizada na sua cirurgia entre o estômago e o intestino está pervia, isto é, está tudo bem com a sua cirurgia. O valor de 12mm é o diâmetro da passagem dessa sutura.

Deixe uma resposta